USOS DA CRASE

O termo “crase” teve origem na Grécia, e significa “junção”, “fusão”. Indicada pelo acento grave, trata-se de uma contração, ou seja, a união da preposição “a” com o artigo “a

a+a = à

Utilizar corretamente a crase, muitas vezes é um pesadelo, já que temos diversos casos, onde podemos empregá-la ou não, mas a FOCA veio te dar uma ajudinha e ensinar alguns truques que podem facilitar essa difícil missão!

Primeiramente, é importante saber que a crase é empregada diante de palavras femininas* e que deve haver uma preposição obrigatória.

*Salvo exceções onde indica a expressão “à moda de”.

Casos onde o uso da crase é obrigatório:

Indicação de hora determinada. Exemplo:

  • Vamos nos encontrar amanhã às 8h.
  • Chegarei no evento após às 19 horas.

Em locuções femininas adverbiais, conjuntivas e prepositivas. Exemplo:

  • Ontem à noite, saímos para o bar.
  • Eles caminhavam às pressas para chegar ao casamento. 
  • Ela segue à procura de seu amor.

Quando os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s) e aquilo exigirem a preposição “a”. Exemplo:

  • Diga àquele rapaz que o pedido não está pronto.
  • Não Irei àquela loja. 

*Quando está subentendido ou explícito o uso das palavras moda/maneira/estilo, neste caso, a crase é empregada mesmo antes de uma palavra masculina. Exemplo:

  • Vou pedir um filé mignon à parmegiana.
  • Comprei livros novos à vista.

Em alguns é necessário atentar-se ao sentido da palavra, para identificar se a crase é obrigatória ou não.

Distância – quando é determinada, empregamos a crase, caso contrário não há. Exemplo:

  • O clube está à distância de 120 metros.
  • Os policiais recomendaram manter a distância.

Antes de “casa”.

  • Com qualificativo:  Em nossa viagem, visitamos à casa Rosada.
  • Sem qualificativo: Saímos da festa, e voltamos cedo a casa.

Antes de “terra”

  • Não há crase no sentido de oposição ao mar:
    • Os marinheiros voltaram a terra.
  • Em outros casos, a crase é utilizada:
    • A família irá voltar à terra natal.

Quando o uso da crase é facultativo:

Antes de pronomes possessivos femininos. Exemplo:

  • Ela referiu-se a minha obra
  • Ela referiu-se à minha obra
  • Diga a sua mãe que viajaremos semana que vem.
  • Diga à sua mãe que viajaremos semana que vem.

Antes de nomes próprios femininos. Exemplos:

  • Dei um presente a Bruna.
  • Dei um presente à Bruna.

Após o uso da preposição “até”. Exemplos: 

  • Vamos até a praia no final de semana.
  • Vamos até à praia no final de semana.
  • O aluno foi nervoso até a lousa.
  • O aluno foi nervoso até à lousa.

Casos onde o uso da crase é proibido:

Antes de palavras masculinos. Exemplo: 

  • As meninas fizeram um passeio a cavalo.
  • O carro de minha mãe é a álcool.

Antes de pronomes*. Exemplos:

  • Leve bolinhos a todos do financeiro.
  • Diga a ele que não haverá mousse para sobremesa.

Antes de verbos no infinitivo. Exemplos:

  • As compras podem chegar a partir de quinta.
  • Estavam a dançar na pista.

No meio de palavras repetidas. Exemplos:

  • Os inimigos ficaram cara a cara na reunião.
  • Sentaram-se lado a lado no teatro.

Antes de artigo um e uma. Exemplos: 

  • Pergunte a um especialista sua opinião.
  • Já assistiu a uma produção do Tarantino?

Antes de a + plural. Exemplos:

  • Adoro ir a casamentos.
  • Não gosto de ir a lojas em sábados.

Fique atento! Em alguns casos, há certas exceções.

Já vimos que não há crase antes de pronomes, exceto pronomes de tratamento femininos, como dona, senhora, senhorita, madame, mesma e própria. Exemplo:

  • Levei flores à Dona Maria.
  • Entregue o pacote à Senhora.

Diante dos pronomes relativos, a crase ocorrerá apenas quando o verbo exigir a preposição “a” em sua regência. Exemplo:

  • Esta roupa é igual à que comprei.
  • Esta é a lei à qual todos devem obedecer. 

Diante de tantas regrinhas, lembrar em quais casos deve-se usar ou não a crase, pode ser um pouquinho complicado, mas para isso, temos alguns macetes e dicas que podem ajudar a lembrar se devemos empregar a crase, ou não.

O caso mais geral, é trocar a palavra feminina por uma masculina, se a expressão exigir o uso de “ao”, então há crase

Exemplo: 

  • Vamos à festa.
  • Vamos ao show.
  • Eles foram à casa noturna
  • Eles foram ao clube noturno

Outro macete que vemos muito por aí, é sobre o uso da crase antes de localidades.

“Se vou a e volto da, crase há. Se vou a e volto de, crase pra quê?”

Exemplo: 

  • Vou à Espanha na próxima semana. 
  • Volto da Espanha.
  • Vou a Bragança para uma reunião. 
  • Volto de Bragança.

Gostou das dicas de como usar crase? Então se liga nos 12 mandamentos da crase, e arrasa!

12 Mandamentos da Crase

  1. Diante de pronome, crase passa fome.
  2. Diante de Masculino, crase é pepino.
  3. Diante de ação, crase é marcação.
  4. Palavras repetidas: Crase proibida.
  5. “A” + “Aquele” = Crase nele!
  6. Vou a, volto da, então crase há!
  7. Vou a, volto de, crase para quê?
  8. Diante de cardinal, crase faz mal.
  9. Quando for hora, crase sem demora.
  10. Palavra determinada, crase liberada.
  11. Sendo à moda de, crase vai vencer.
  12. Adverbial, feminina e locução! Manda crase, meu irmão!
Precisa de ajuda? Fale conosco